tableaupublic            

Menu

Portal de Estatísticas Oficiais

tableaupublic            

Newsletters

Não perca tempo, subscreva já as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Subscrever

Subscreva as nossas newsletters:

Estatísticas da Justiça

Justiça

Newsletters

Não perca tempo. Subscreva as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

No 1.º trimestre de 2020

Preço mediano de alojamentos familiares na RAM registou acréscimos trimestral e homólogo

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou hoje a informação referente ao 1.º trimestre de 2020 para o preço mediano dos alojamentos familiares. Com efeito, os valores publicados referem-se à mediana (valor que separa em duas partes iguais o conjunto ordenado de preços por metro quadrado) e dizem respeito aos últimos 12 meses, ou seja, os dados do 1.º trimestre de 2020 são calculados com base nos dados deste trimestre e dos três anteriores. Note-se que esta informação é de fonte administrativa, sendo proveniente de dados fiscais anonimizados obtidos da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) relativos ao Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) e ao Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

No 1.º trimestre de 2020 (últimos 12 meses), o preço mediano de alojamentos familiares na Região Autónoma da Madeira (RAM) foi de 1 250 euros/m2, traduzindo este valor um aumento trimestral de 4,5% e homólogo de 4,4%. A nível nacional, o preço mediano ascendeu a 1 117 euros/m2 e as variações, pela mesma ordem, foram ambas positivas, de 3,3% e de 10,5%. Note-se ainda que na RAM, o valor do segmento dos alojamentos novos (1 377 euros/m2) continuou a superar o valor dos alojamentos existentes (1 211 euros/m2) em 166 euros/m2.

Quer para Portugal, quer para a RAM, o valor do trimestre em referência é o mais alto da série, que tem início no 1.º trimestre de 2016.

Se alargar o âmbito de análise aos últimos dois anos (1.º trimestre de 2020 face ao mesmo trimestre de 2018), conclui-se que o preço mediano de alojamentos familiares, na RAM, cresceu 9,4% nesse período, abaixo da média do país (+17,6%).

Para os apartamentos, o valor observado na RAM (1 395 euros/m2) foi superior em 11,4% ao verificado para o conjunto do país (1 252 euros/m2). Nos apartamentos existentes, o valor regional fixou-se nos 1 321 euros/m2, sendo que para o país aquele valor ronda os 1 225 euros/m2.

No município do Funchal, o preço mediano da habitação no 1.º trimestre de 2020 fixou-se em 1 621 euros/m2, o que significa que este município foi o único da RAM a registar um valor acima da média regional (mais 371 euros/m2). No ranking nacional, o Funchal subiu três posições, para o 12.º lugar dos municípios com valor mediano mais elevado. A lista continua a ser liderada por Lisboa (3 333 euros/m2), sendo as posições seguintes ocupadas por municípios da Área Metropolitana de Lisboa e do Algarve. Os municípios de Vila Real de Santo António, Aljezur e Lagoa, neste trimestre, foram ultrapassados pelo Funchal. De realçar que do conjunto das cidades portuguesas com mais de 100 mil habitantes (Lisboa, Porto, Funchal, Coimbra, Amadora, Vila Nova de Gaia e Braga), o Funchal surge com o terceiro valor mais alto, depois de Lisboa e Porto.

Para além do Funchal, os municípios de Santa Cruz, de Câmara de Lobos e do Porto Santo, embora registando preços abaixo da média da RAM, destacaram-se, visto apresentarem valores de expressão considerável, acima dos mil euros (1 121 euros/m2, 1 056 euros/m2 e 1 041 euros/m2, respetivamente). O valor mais baixo foi observado em Santana (708 euros/m2), embora seja de notar que não são divulgados dados para o Porto Moniz devido ao baixo número de observações registadas neste município.

Infografia PHab 1T20 PT 

Nas freguesias da cidade do Funchal, sobressai São Martinho que apresentou, no 1.º trimestre de 2020, valores (1 879 euros/m2) bastante superiores à média da cidade para a totalidade dos alojamentos (1 621 euros/m2). Seguem-se a agregação das freguesias centrais (São Pedro, Santa Luzia e Sé), com 1 567 euros/m2 e o agregado das freguesias mais orientais (Santa Maria Maior e São Gonçalo), com 1 528 euros/m2. Santo António e a agregação S. Roque, Monte e Imaculado Coração de Maria registaram os valores mais baixos (1 434 euros/m2 e 1 173 euros/m2, respetivamente). Comparativamente ao 1.º trimestre de 2019, todas as freguesias ou agregações de freguesias observaram crescimentos face aos trimestres homólogo e anterior em termos do valor mediano das vendas por m2 à exceção do conjunto “S. Roque, Monte e Imaculado Coração de Maria”.

Na freguesia do Caniço, o preço mediano de alojamentos familiares no 1.º trimestre de 2020 ascendeu a 1 153 euros/m2, valor que supera o verificado para o conjunto do município de Santa Cruz (1 121 euros/m2), em 32 euros/m2. De referir que no Caniço este indicador cresceu em termos homólogos (+4,2%) e face ao trimestre anterior (+0,8%).

No 1.º trimestre de 2020, na RAM, o preço mediano das vendas de alojamentos de tipologia T0 ou T1 foi de 1 372 euros/m2, o mais elevado se comparado com as restantes tipologias (T2, 1 239 euros/m2; T3, 1 226 euros/m2; T4 ou superior, 959 euros/m2). Na cidade do Funchal, todas as tipologias em análise apresentaram valores substancialmente superiores ao da Região, tendo os T0 ou T1 registado o valor mais alto (1 766 euros/m2).

Para mais informação aceda a:

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Literacia Estatística

formation3

Literacia Estatística

formation3
Go to top