No 3.º trimestre de 2018

Preço mediano de alojamentos familiares na RAM subiu para 1 203 euros/m2 

Segundo a informação hoje divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no 3.º trimestre de 2018 (últimos 12 meses), na RAM, o preço mediano de alojamentos familiares foi de 1 203 euros/m2, correspondendo ao valor mais elevado observado desde o 1.º trimestre de 2016 (1.º período da série), mantendo-se também acima da média nacional (984 euros/m2). Comparativamente aos trimestres anterior e homólogo, os crescimentos foram de 3,8% e 10,0%, respetivamente. Note-se ainda que o valor do segmento dos alojamentos novos (1 306 euros/m2) continua a superar o valor dos alojamentos existentes (1 169 euros/m2) em 137 euros/m2.

Para os apartamentos, o valor observado na RAM (1 368 euros/m2) foi, de modo significativo, superior (26,0% acima) ao verificado para o conjunto do país (1 086 euros/m2), sendo que para os apartamentos existentes o valor regional é de 1 321 euros/m2, enquanto que o valor nacional não ultrapassa os 1 057 euros/m2.

No município do Funchal, o preço mediano da habitação no 3.º trimestre de 2018 fixou-se em 1 491 euros/m2, o que significa que este município foi o único da RAM a registar um valor acima da média regional (mais 288 euros/m2). No ranking nacional, o Funchal baixa para o 11.º lugar dos municípios com valor mediano mais elevado. A lista continua a ser liderada por Lisboa (2 877 euros/m2), sendo as posições seguintes ocupadas por municípios da Área Metropolitana de Lisboa (Cascais e Oeiras) e do Algarve (Loulé, Lagos, Albufeira e Tavira). De realçar que do conjunto das cidades portuguesas com mais de 100 mil habitantes (Lisboa, Porto, Funchal, Coimbra, Amadora, Vila Nova de Gaia e Braga), o Funchal surge com o terceiro valor mais alto, depois de Lisboa e Porto.

Para além do Funchal, os municípios de Santa Cruz e do Porto Santo, embora registando preços abaixo da média da RAM, destacam-se, visto apresentarem valores de expressão considerável, acima dos mil euros (1 067 euros/m2 e 1 063 euros/m2, respetivamente). Os valores mais baixos foram observados em Santana (369 euros/m2) e no Porto Moniz (409 euros/m2).

Valor Mediano das vendas 3T2018

Nas freguesias da cidade do Funchal, o destaque vai para a freguesia de São Martinho que apresentou, no 3.º trimestre de 2018, valores (1 749 euros/m2) bastante superiores à média da cidade para a totalidade dos alojamentos (1 493 euros/m2, não coincidindo os limites da cidade com os do município e por consequência os valores para um e para outro são ligeiramente distintos). Seguem-se a agregação das freguesias centrais (São Pedro, Santa Luzia e Sé), com 1 415 euros/m2, e a freguesia de Santo António, com 1 357 euros/m2. As freguesias mais orientais (Santa Maria Maior e São Gonçalo) e a agregação S. Roque, Monte e Imaculado Coração de Maria registaram os valores mais baixos (1 310 euros/m2  e 1 203 euros/m2, respetivamente).

Na freguesia do Caniço, o preço mediano de alojamentos familiares no 3.º trimestre de 2018 ascendeu a 1 073 euros/m2, valor que supera o verificado para o conjunto do município de Santa Cruz, em 6 euros/m2. Os preços observados nesta freguesia sofreram pela primeira vez uma descida desde o inicio da série.

No 3.º trimestre de 2018, na RAM, o preço mediano das vendas de alojamentos de tipologia T0 ou T1 foi de 1 296 euros/m2, o mais elevado se comparado com as restantes tipologias (T2, 1 205 euros/m2; T3, 1 185 euros/m2; T4 ou superior, 957 euros/m2). Na cidade do Funchal, e à exceção da tipologia T4 e superior, cujo valor (1 203 euros/m2) se igualou ao total da RAM, as restantes tipologias em análise apresentaram valores substancialmente superiores ao da Região, tendo os T0 ou T1 registado o valor mais alto (1 656 euros/m2).