Para 2012

O INE divulga primeiras estimativas das Contas Regionais

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou hoje os resultados preliminares das Contas Regionais/2012, que evidenciam uma diminuição do Produto Interno Bruto (PIB) da RAM em 6,4% em termos nominais e em 7,1% em termos reais (ou seja, extirpado o efeito da variação de preços). Esta redução significativa foi fortemente influenciada pela saída de diversas empresas de dimensão relevante que anteriormente operavam a partir do Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM), levando a que o VAB das atividades aí desenvolvidas tivesse sofrido uma assinalável redução. Há ainda a referir os efeitos das medidas implementadas no âmbito do Programa de Ajustamento Económico-financeiro (PAEF-RAM), iniciado em janeiro de 2012 e com impacto direto na economia regional.

Não obstante, a RAM permanece bastante acima da média nacional (+25,4%) em termos do índice de disparidade do PIB per capita e só tem à sua frente Lisboa, cujo índice é 39,3% superior à média de referência.

PIB de 2011 revisto em alta

O INE reviu em alta o PIB da RAM para 2011 em mais 29,5 milhões de euros, para um total de 5 141 milhões de euros. Contudo, o PIB de 2011 decresceu 1,3% em termos nominais e 2,2% em termos reais. Este resultado está ligado a uma quebra no Valor Acrescentado Bruto (VAB) das Atividades de Comércio por grosso e a retalho; reparação de veículos automóveis e motociclos; transportes e armazenagem; atividades de alojamento e restauração e das atividades financeiras e de seguros na Região Autónoma da Madeira foi negativamente influenciado pelo comportamento das empresas localizadas no CINM, sendo ainda de destacar o decréscimo do VAB do ramo da Construção, que registou uma variação de -8,2% na nossa região.

Realce ainda para o crescimento muito ligeiro do investimento em 2011 (+0,2%), contrariando a tendência da maior parte das regiões portuguesas e para a evolução do rendimento disponível (-0,4% na RAM contra -1,4% no país) e primário ( -1,0% na RAM contra -0,7% no país) das famílias, cujos valores per capita continuam acima da média nacional. No caso do rendimento disponível per capita, o índice de disparidade da RAM é de 107, ficando apenas abaixo de Lisboa (129).

Para mais informação aceda a: