[NOTA PRÉVIA: No que se refere à divulgação mensal do ano de referência de 2019, a DREM mantém em grande medida um modelo semelhante ao do ano anterior. Contudo, salienta-se que o Instituto Nacional de Estatística (INE) desde o mês de referência de janeiro de 2019 divulga um agregado que compreende a hotelaria, o turismo no espaço rural e o alojamento local com 10 ou mais camas (em termos de capacidade de alojamento), aproximando-se assim do modelo de divulgação seguido pela DREM desde o início de 2018. Refira-se que, na RAM, a DREM inquire também o alojamento local com menos de 10 camas, pelo que nesta notícia, no Em Foco e nos quadros publicados por esta Direção Regional é mencionado um total geral superior ao do INE, no que respeita a hóspedes e dormidas. Para as variáveis taxas de ocupação, quartos, proveitos e custos com o pessoal, os valores são coincidentes com os do INE por o seu apuramento excluir o alojamento local abaixo das 10 camas.]

Em junho de 2019

Sector do alojamento turístico coletivo da RAM apresenta decréscimos nas dormidas e nos proveitos totais

As primeiras estimativas relativas ao mês de junho de 2019 apontam para decréscimos homólogos nas dormidas e nos proveitos totais e de aposento no alojamento turístico da RAM, de 2,3%, 3,3% e 2,3%, respetivamente.

De sublinhar que excluindo o alojamento local com menos de 10 camas, as dormidas apresentam uma diminuição de 3,4% em termos homólogos. No país, as dormidas cresceram 5,6%, enquanto os proveitos totais e de aposento apresentaram, pela mesma ordem, variações de +11,8% e +12,1%.

O total de dormidas do alojamento turístico na RAM no mês em referência (considerando a totalidade do alojamento local) rondou os 766,2 milhares enquanto os proveitos totais e de aposento atingiram os 39,1 e 25,1 milhões de euros, respetivamente.

A hotelaria concentrou 83,8% das dormidas, decrescendo 4,3% em termos homólogos, enquanto o alojamento local registou um incremento de 10,5% nas dormidas, representando 14,2% do total. Por sua vez, o turismo no espaço rural e de habitação, responsável por 1,9% do total, teve +5,3% de dormidas face ao mesmo mês do ano passado.

Nos mercados tradicionais do alojamento turístico, verificaram-se decréscimos nos mercados britânico, alemão e francês com variações de -8,9%, -8,8% e de -5,5% face a junho de 2018, respetivamente. O mercado nacional cresceu 8,3%.

Em termos acumulados (janeiro a junho), as dormidas no alojamento turístico diminuíram 2,6%, enquanto os proveitos totais e de aposento apresentaram quebras de 4,9% e 4,0%, respetivamente.

A taxa de ocupação-cama do alojamento turístico no mês em referência fixou-se em 66,1%, 3,8 pontos percentuais abaixo do observado em junho de 2018, a mais elevada entre as regiões NUTS II portuguesas. Por sua vez, a taxa de ocupação-quarto atingiu os 72,2%.

Destaque ainda para o decréscimo homólogo no rendimento médio por quarto (RevPAR) no alojamento turístico em 4,2%, para 49,57€. O sector da hotelaria evidenciou uma quebra de 4,9% em junho de 2019, apresentando um RevPAR de 53,95 euros. Por sua vez, o proveito de aposento por quarto utilizado (ADR) cresceu 1,0% em junho de 2019, para os € 68.69.

Aumento do número de voltas realizadas nos campos de golfe da Região no 1.º semestre de 2019

O inquérito aos campos de golfe revela a realização de 37 324 voltas nos três campos de golfe da RAM no 1.º semestre de 2019 (+1,7% que no período homólogo), tendo esta atividade gerado cerca de 1,5 milhões de euros em receitas. 73,3% das voltas foram realizadas por não sócios, provenientes na sua maioria dos Países Nórdicos, Alemanha e Reino Unido. Os estabelecimentos hoteleiros e afins venderam 61,1% das voltas, os operadores turísticos 22,3% e os restantes 16,5% foram transacionados pelos próprios campos de golfe.

Variação homóloga positiva no número de passageiros em trânsito nos navios de cruzeiro que visitaram a RAM no 1.º semestre de 2019

De acordo com os dados fornecidos pela Administração dos Portos da RAM, no 1.º semestre deste ano foram contabilizados 314 123 passageiros em trânsito em navios de cruzeiro nos portos da RAM, +15,4% que no período homólogo, tendo o número de escalas igualmente aumentado em 2,7% (mais 4 navios que no 1.º semestre de 2018). 

Infog Turismo

Para mais informação aceda a: