DREM divulga indicadores de Educação resultantes do Inquérito ao Emprego de 2018

À semelhança do INE, que divulgou recentemente um conjunto de informação relativo ao domínio da Educação, resultante do Inquérito ao Emprego, a DREM antecipa a publicação de três indicadores para a Região, que habitualmente são integrados no capítulo IV – Outros Indicadores da Série Retrospetiva das Estatísticas da Educação, cuja próxima edição está prevista para 27 de junho.

Para dois destes indicadores, é necessário aplicar o método das médias móveis. Por exemplo, o valor de 2018, corresponde à média dos anos 2018, 2017 e 2016. O recurso a esta técnica permite ultrapassar eventuais problemas de qualidade que resultam da baixa frequência do fenómeno ou de coeficientes de variação (rácio do desvio-padrão pela média) elevados, e que inviabilizam a divulgação de parte de informação pelo INE, no seu portal.

Para permitir a publicação de dois dos indicadores em causa (taxa de abandono precoce de educação e formação e a taxa de escolaridade do nível de ensino superior da população residente na RAM com idade entre 30 e 34 anos), a DREM recorre ao referido método, sendo que para efeitos de comparabilidade com o país é necessário aplicar também médias móveis de 3 anos aos dados nacionais.

A taxa de abandono precoce corresponde à proporção da população dos 18 aos 24 anos que completou um nível de escolaridade correspondente, no máximo, ao 3.º ciclo do ensino básico e que não recebeu nenhum tipo de educação (formal ou não formal) na semana de referência do Inquérito ao Emprego ou nas três semanas anteriores.

A taxa de aprendizagem ao longo da vida é a proporção da população residente com idade entre 25 e 64 anos que participa em atividades de educação e formação, entendidas como todas as atividades de aprendizagem intencional ou não, desenvolvidas ao longo da vida, em contextos formais ou não-formais, com o objetivo de adquirir, desenvolver ou melhorar conhecimentos, aptidões e competências, no quadro de uma perspetiva pessoal, cívica, social e/ou profissional.

A taxa de escolaridade do nível de ensino superior corresponde à proporção da população dos 30 aos 34 anos que completou um nível de escolaridade correspondente ao ensino superior.

Indicadores da Educação registam melhorias em 2018

Na Região Autónoma da Madeira (RAM), a taxa de abandono precoce de educação e formação de 2018 (expressa em média móvel de 3 anos) fixou-se em 17,8%, registando uma redução de 3,4 pontos percentuais (p.p) face ao ano precedente. Esta variável tem diminuído continuamente desde 2013, ano no qual atingia 28,0%, sendo que em cinco anos decresceu 10,2 p.p.. Não obstante a taxa de abandono precoce regional ser superior à nacional, observa-se uma convergência dos valores: enquanto em 2013, essa discrepância era de 7,2 p.p., em 2018 não ultrapassava os 5,0 p.p.. De notar que, em 2018, tal como nos cinco anos anteriores, a taxa em questão é maior para os homens (21,8%) do que para as mulheres (13,6%). No entanto, a aproximação entre as duas taxas ao longo do período em análise é evidente, com o diferencial a passar de 16,5 p.p. em 2013 para 8,2 p.p. em 2018.

educacao 2018PT1 

Em 2018, a taxa de aprendizagem ao longo da vida fixou-se em 9,4%, mais 1,3 p.p. que em 2017, sendo mais expressiva nas mulheres (10,1%) do que nos homens (8,5%). Esta taxa registou um aumento de 1,9 p.p. em sete anos, passando de 7,5% em 2011 para 9,4% em 2018. A RAM apresentava, em 2018, uma taxa inferior à nacional (10,3%), mas a análise da série disponível mostra também para esta variável uma convergência de valores, com o diferencial entre a taxa nacional e regional a passar de 4,0 p.p. em 2011 para 0,9 p.p. em 2018.

Por sua vez, a taxa de escolaridade do nível de ensino superior da população residente na RAM com idade entre 30 e 34 anos (média móvel de 3 anos) fixava-se em 30,5% em 2018. Apesar desta percentagem ser ainda inferior à média nacional (33,9%), constitui o valor mais alto desde 2013 (1.º ano da série).

Para mais informação aceda a: