tableaupublic            

Menu

Portal de Estatísticas Oficiais

tableaupublic            

Newsletters

Não perca tempo, subscreva já as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Subscrever

Subscreva as nossas newsletters:

Estatísticas da Justiça

Justiça

Newsletters

Não perca tempo. Subscreva as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Em junho de 2020

Economia regional continuou em contração

O Indicador Regional de Atividade Económica (IRAE) indicia que, no mês de junho, a atividade económica da RAM continuou a registar uma quebra homóloga, ligeiramente mais acentuada quando comparada com o mês anterior. Note-se que a diminuição observada em junho resulta de uma média móvel de três meses, ou seja, da média das variações observadas em abril, maio e junho, uma opção metodológica aplicada no IRAE desde a sua criação, e que visa reduzir flutuações erróneas do indicador. Aqueles três meses correspondem a um período de forte condicionamento da atividade económica, com um número significativo de empresas encerradas ou com baixa faturação, em virtude das medidas de restrição à mobilidade adotadas com o objetivo de controlar eficazmente a transmissão comunitária do COVID-19.

Como a DREM referiu na primeira divulgação do IRAE1, em outubro de 2017, o objetivo do mesmo é “sinalizar o comportamento da atividade económica, nomeadamente no que se refere à sua direção e magnitude das flutuações: se esta se encontra em terreno positivo ou negativo, as acelerações, desacelerações e a identificação de pontos de viragem”. O seu valor quantitativo, assume por isso uma importância secundária, não se apresentando o mesmo como um substituto da variação real do Produto Interno Bruto, a ser apurada com um conjunto mais variado e completo de informação estatística, muito embora haja uma forte correlação entre as duas variáveis.

Assim, a expressão numérica do IRAE de junho deste ano não deve ser interpretada como a medida exata em que o PIB regional contraiu no 2.º trimestre de 2020. Este confirma, no entanto, a magnitude sem precedente na história recente da contração da economia. Uma comparação dos valores atuais do IRAE com os registados durante a recessão de 2012 (ano em que o PIB regional diminuiu 7,7%), aponta para que a redução da atividade no período recente seja pelo menos duas vezes superior à registada naquele período.

A questão acima referida não é exclusiva do indicador de atividade (IAE) regional, o qual foi construído com o objetivo de capturar de forma o mais precisa possível flutuações normais do ciclo económico. Ora, a crise atual não se enquadra nesta descrição. Para tal, tanto instituições internacionais que com frequência publicam previsões económicas2, bem como institutos nacionais de estatística3 têm recorrido a indicadores de elevada frequência não tradicionais, para um acompanhamento em tempo real da recessão. Estes incluem estatísticas de mobilidade, frequência de transporte aéreo, consumo de eletricidade, poluição atmosférica, entre muitas outras. Foi para esse efeito que a DREM iniciou a publicação de diversos “Em Foco”4 com uma contextualização mais completa da vida económica e social da Região durante a pandemia. Permanece, no entanto, uma elevada incerteza quanto à escala exata do impacto da pandemia na economia.

É por isso útil neste contexto olhar também para a relação entre o IAE nacional, calculado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), com o IRAE. De acordo com a última Síntese de Conjuntura do INE, o IAE nacional de junho (em média móvel de 3 meses, ou seja, o equivalente ao 2.º trimestre de 2020) foi de -7,1%, enquanto a quebra homóloga do PIB no 2.º trimestre foi de -16,3%5. Mais uma vez, tais discrepâncias devem ser encaradas com naturalidade em períodos de variação da atividade em que, pela sua amplitude, podem ter alterado de forma significativa as relações históricas entre as variáveis6. Assim, modelos que anteriormente apresentavam uma capacidade preditiva válida, podem não se apresentar apropriadamente especificados nas circunstâncias atuais. É por isso que, neste contexto, a DREM tem desenvolvido um esforço acrescido de comunicação e oferta de um espectro mais alargado de indicadores que informem de forma mais completa os utilizadores de estatísticas.

Graf irae0620 pt

Síntese Mensal de Indicadores de Conjuntura – junho de 2020

Em conjunto com o IRAE, é publicada a Síntese Mensal de Indicadores de Conjuntura – junho de 2020, instrumento de acompanhamento da conjuntura económica e que integra os dados mais recentes da atividade económica regional.

     

    1 Ver DREM (2017). 'Em Foco-Indicador de Atividade Económica’. 20 de outubro

    2 Ver World Bank (2020). ‘Nowcasting Economic Activity in Times of COVID-19’. Policy Research Working Paper 9247. Maio.

    3 Ver INSEE (2020). ‘Point de conjoncture du 8 juillet – Présentation’. Note de conjoncture. 8 Julho.

    4 Ver DREM (2020). ‘Impacto da pandemia do COVID-19 na Região Autónoma da Madeira’. 8 Agosto.

    5 Note-se que embora tenham objetivos similares, o IAE nacional e o IRAE não são em rigor comparáveis, devido a metodologias distintas na sua construção.

    6 Ver Bundesbank (2020) .’A weekly activity index for the German economy’. Monthly Report, pp. 68-70. Maio.

     

    Cooperação Estatística Internacional

    MAC14 20

    Cooperação Estatística Internacional

    MAC14 20

    Literacia Estatística

    formation3

    Literacia Estatística

    formation3
    Go to top