tableaupublic            

"Uma porta aberta para 

um Universo de Informação Estatística"

Menu

Portal de Estatísticas Oficiais

tableaupublic            

Newsletters

Não perca tempo, subscreva já as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Subscrever

Subscreva as nossas newsletters:

Newsletters

Não perca tempo, subscreva já as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

No ano de 2017

Introdução no consumo dos principais combustíveis cresceu 3,9% face ao ano precedente

Segundo os dados fornecidos pela Alfândega do Funchal, em 2017, a introdução no consumo dos principais combustíveis (gasóleo e gasolina) na RAM ultrapassou os 143,0 milhões de litros, valor superior ao do ano precedente em 3,9%. Foram introduzidos 101,0 milhões de litros de gasóleo, +4,9% que em 2016, constituindo-se aquele valor como o mais elevado desde 2011. No que se refere às gasolinas, observou-se que a de 95 octanas apresentou uma diminuição homóloga de 0,4%, enquanto a de 98 octanas registou um aumento de 10,0%. Em 2017, as quantidades introduzidas de gasolina de 95 e de 98 octanas foram de 33,7 e 8,4 milhões de litros, respetivamente, face ao ano anterior. Da mesma forma, para a gasolina de 98 octanas, o valor de 2017 é também o mais alto dos últimos seis anos.

No caso do gás propano e butano, a introdução no consumo em 2017 rondou as 12,5 e 6,2 mil toneladas, respetivamente, traduzindo pela mesma ordem, uma diminuição de 5,5% e um aumento de 8,0%, em comparação com o ano transato. Já no gás natural, a quantidade introduzida foi de 21,7 mil toneladas (+7,5% do que em 2016).

Reduzindo o âmbito da análise ao 4.º trimestre de 2017, observa-se que neste período, a introdução no consumo dos principais combustíveis (gasóleo e gasolina) atingiu os 35,4 milhões de litros, valor superior ao do período homólogo em 3,1%. Naquele trimestre, a procura de gasóleo rodoviário foi de 25,0 milhões de litros (+3,6% face ao mesmo trimestre de 2016). No que se refere às gasolinas, observou-se que entre outubro e dezembro de 2017, as quantidades introduzidas de gasolina de 95 e de 98 octanas foram de 8,2 e 2,2 milhões de litros, tendo diminuído 1,1% e aumentado 15,2%, respetivamente, face ao mesmo período do ano anterior.

Por sua vez, no 4.º trimestre de 2017, a quantidade introduzida de gás propano e butano rondou as 1,7 e 0,9 mil toneladas, respetivamente. Já no gás natural, a quantidade introduzida foi de 7,1 mil toneladas.

Média dos preços de 2017 foi mais elevada que em 2016

Em 2017, a média dos preços máximos de venda ao público do gasóleo rodoviário foi de 1,184€, tendo subido 8,7 cêntimos face a 2016. Evolução idêntica sucedeu no caso da gasolina de 95 octanas, cujo preço médio foi de 1,449€, o que representou um aumento de 7,7 cêntimos entre 2016 e 2017.

No 4.º trimestre de 2017, o preço médio do gasóleo rodoviário fixou-se em 1,197€, superior ao registado no período homólogo (1,147€) e no trimestre anterior (1,141€). No caso da gasolina de 95 octanas, o preço médio foi de 1,461€, observando-se um acréscimo de 6,4 cêntimos face ao verificado no período correspondente do ano precedente e um aumento de 2,8 cêntimos ao observado no 3.º trimestre de 2017.

comb 4T2017 PT

Para mais informação aceda a:

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Literacia Estatística

formation3

Literacia Estatística

formation3
Go to top