tableaupublic            



Portal de Estatísticas Oficiais                     

Menu

tableaupublic            

Newsletters

Não perca tempo, subscreva já as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Subscrever

Subscreva as nossas newsletters:

Estatísticas da Justiça

Justiça

Newsletters

Não perca tempo. Subscreva as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Em 2021

Produção de ovos, gado abatido e captura de pescado aumentaram, enquanto o abate de frango diminuiu face ao ano anterior

Segundo os dados apurados pela Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) junto das empresas da Região que desenvolvem a atividade da avicultura industrial, no ano de 2021, a produção de ovos ultrapassou os 23,1 milhões de unidades, aumentando 16,4% face ao ano anterior. Tendência contrária foi registada no abate de frango, cujo volume rondou as 3,2 mil toneladas, o que representa um decréscimo de 6,7% comparativamente a 2020.

Por sua vez, no ano em referência, o abate de gado totalizou 963,9 toneladas, crescendo 3,8% face ao ano precedente. Este aumento foi observado tanto nos bovinos abatidos, como nos suínos (+3,3% e +11,9%, respetivamente). Registe-se que a espécie que mais contribuiu para o total de gado abatido foi a raça bovina (93,0% do total).

No domínio da pesca, os dados fornecidos pela Direção Regional de Pescas (DRP) mostram que o ano de 2021 caraterizou-se por um aumento de 6,7% nas quantidades capturadas de pescado, cifrando-se o total anual em 5,2 mil toneladas. Já o valor de primeira venda caiu 3,0%, com o acumulado anual a rondar os 14,1 milhões de euros.

A evolução nas quantidades resultou fundamentalmente do acréscimo nas capturas de atum e similares (+21,7%), embora as capturas de cavala e de chicharro também tivessem aumentado 23,1% e 24,7%, respetivamente. Já o peixe-espada preto registou uma quebra de 12,3% nas capturas relativamente ao ano anterior.

O atum e similares manteve-se como a espécie mais abundante em 2021, totalizando 2,8 mil toneladas (54,1% do total de pesca descarregada), seguido do peixe-espada preto, que atingiu um total de 1,9 mil toneladas (36,1%). Em termos de receita na primeira venda, o atum e similares registou um ligeiro aumento, de 0,5% face a 2020, totalizando 6,8 milhões de euros, enquanto o peixe-espada preto diminuiu 13,4%, para um valor de 5,5 milhões de euros.

Em 2021, o preço médio de pescado apurado na primeira venda (excluindo-se nestes cálculos o pescado descarregado destinado a autoconsumo) decresceu 8,7% para 2,75€ (3,02€ em 2020), atingindo no caso do peixe-espada preto os 3,02€ (3,04€ em 2020) e no do atum e similares os 2,43€ (2,93€ em 2020).

Produção da aquicultura com valor recorde              

De acordo com a informação recolhida pela DREM junto das empresas de produção de aquicultura na Região, em 2021, foram produzidas 1 565,7 toneladas de dourada, +26,8% que em 2020. Por sua vez, as vendas ascenderam aos 7,7 milhões de euros, crescendo 24,4% face ao ano anterior. Em ambas as variáveis registaram-se, em 2021, máximos históricos, superando os anteriores valores recorde de 2020.

Por mercados, observa-se que 90,2% do valor de vendas diz respeito ao mercado nacional (Continente e Açores) e apenas 9,7% ao mercado regional.

Avi pecu pesca PT novo

Para mais informação aceda a:

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Literacia Estatística

formation3

Literacia Estatística

formation3
Go to top