tableaupublic            



Portal de Estatísticas Oficiais                     

Menu

tableaupublic            

Newsletters

Não perca tempo, subscreva já as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Subscrever

Subscreva as nossas newsletters:

Estatísticas da Justiça

Justiça

Newsletters

Não perca tempo. Subscreva as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

No 1.º semestre de 2022

Introdução no consumo dos principais combustíveis cresceu 16,7% face ao período homólogo

Segundo os dados fornecidos pela Alfândega do Funchal, nos primeiros seis meses de 2022, na RAM, a introdução no consumo dos principais combustíveis (gasóleo e gasolina) atingiu os 74,0 milhões de litros, valor superior ao do mesmo semestre do ano precedente em 16,7%. De notar que aquele quantitativo é superior ao do mesmo período de 2019 em 1,7%.

No 1.º semestre de 2022 foram introduzidos 53,2 milhões de litros de gasóleo, +14,7% do que no período homólogo. No que se refere às gasolinas, observou-se que a de 95 octanas apresentou um acréscimo homólogo de 32,1%, enquanto a de 98 octanas registou uma diminuição de 6,1%. Entre janeiro e junho de 2022, as quantidades introduzidas de gasolina de 95 e de 98 octanas foram de 16,6 e 4,2 milhões de litros, respetivamente.

No caso do gás propano e butano, a introdução no consumo no período em referência rondou as 6,9 e 2,6 mil toneladas respetivamente (+39,0% e -24,4% que no ano anterior), enquanto no gás natural, a quantidade introduzida foi de 15,7 mil toneladas, +26,0% que no período homólogo.

Reduzindo o âmbito da análise ao 2.º trimestre de 2022, observa-se que neste período, a introdução no consumo dos principais combustíveis (gasóleo e gasolina) rondou os 38,4 milhões, valor superior ao do período homólogo em 9,4%. Neste trimestre, a procura de gasóleo rodoviário foi de 27,5 milhões de litros (+7,4% face ao mesmo trimestre de 2021). Nas gasolinas, observou-se que a de 95 octanas apresentou um aumento de 24,4%, em comparação com o mesmo período do ano anterior, enquanto na gasolina de 98 octanas, o valor da introdução ao consumo foi inferior ao do período homólogo em 14,6%, contabilizando-se nos meses de abril a junho de 2022 introduções no consumo de 8,9 e 2,1 milhões de litros, respetivamente.

Por sua vez, no 2.º trimestre de 2022, a quantidade introduzida de gás propano e butano foi 3,5 e 0,8 mil toneladas respetivamente (enquanto no gás natural, a quantidade introduzida foi de 6,1 mil toneladas (-9,4% do que no trimestre homólogo).

Média dos preços no 2.º trimestre de 2022 subiu

No 2.º trimestre de 2022, o preço médio do gasóleo rodoviário fixou-se em 1,772€, superior ao registado no período homólogo (1,328€) e no trimestre anterior (1,573€). No caso da gasolina de 95 octanas, o preço médio foi de 1,915€, acima do verificado no período correspondente do ano precedente (1,562€), observando-se também um aumento face ao observado no 1.º trimestre de 2021 (1,757€).

Esta evolução está em linha com a escalada dos preços do petróleo nos mercados internacionais, potenciada pelo conflito na Ucrânia.

Combustíveis PT

 

 

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Literacia Estatística

formation3

Literacia Estatística

formation3
Go to top