tableaupublic            

Menu

Portal de Estatísticas Oficiais

tableaupublic            

Newsletters

Não perca tempo, subscreva já as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Subscrever

Subscreva as nossas newsletters:

Newsletters

Não perca tempo. Subscreva as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Em 2016

Indústria extrativa foi responsável por 0,07% do VAB regional

A Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) divulga hoje, pela primeira vez, um estudo sobre a indústria extrativa na RAM, com base em três fontes distintas: as Contas Regionais, o Sistema de Contas Integradas das Empresas e o Inquérito Anual à Produção Industrial (IAPI).

De acordo com a informação mais recente das Contas Regionais, o contributo da indústria extrativa para o Valor Acrescentado Bruto (VAB) da Região foi em 2016 de apenas 0,07%, inferior ao valor nacional, que rondava os 0,31%. No caso da Região Autónoma da Madeira este peso tem vindo a decrescer, tendo-se reduzido em 0,04 pontos percentuais (p.p.) entre 2012 e 2016, tendência semelhante à verificada no conjunto do país, onde essa diminuição rondou, no referido período 0,12 p.p..

Por sua vez, segundo a informação disponível no Sistema de Contas Integradas das Empresas, o número de empresas na indústria extrativa na RAM passou de 27 em 2008 para apenas 15 em 2017. Por sua vez, no mesmo período, o pessoal ao serviço diminuiu 59,4%, passando de 160 indivíduos em 2008 para 65 indivíduos em 2017.

A redução observada quer no número de empresas, quer no pessoal ao serviço das indústrias extrativas está relacionada com o forte recuo da atividade da construção. Com efeito, as indústrias extrativas fornecem matérias-primas importantes não só para a edificação (construção e reconstrução), mas também para a construção de estradas, posicionando-se assim como uma atividade a montante da construção.

De notar que à semelhança do sucedido para o país, a atividade da construção na RAM sofreu efetivamente um forte retrocesso em termos de VAB entre 2008-2015, reduzindo-se em 44,5%.

O Inquérito Anual à Produção Industrial revela que foram extraídas e vendidas 127,2 mil toneladas de areia pelas empresas regionais da indústria extrativa, que geraram 981,3 mil euros de receita. O basalto extraído em 2017 atingiu as 64,9 mil toneladas, enquanto no mesmo ano foram produzidas 90,9 mil toneladas de pedra britada na Região.

 

Ext 2017

 

Para mais informação aceda a:

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Literacia Estatística

formation3

Literacia Estatística

formation3
Go to top