tableaupublic            

Menu

Portal de Estatísticas Oficiais

tableaupublic            

Newsletters

Não perca tempo, subscreva já as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

Subscrever

Subscreva as nossas newsletters:

Estatísticas da Justiça

Justiça

Newsletters

Não perca tempo. Subscreva as nossas newsletters e passe a receber informação na hora...

DREM divulga indicadores de Educação resultantes do Inquérito ao Emprego de 2020

À semelhança do Instituto Nacional de Estatística, que divulgou recentemente um conjunto de informação relativo ao domínio da Educação, resultante do Inquérito ao Emprego, a Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) antecipa a publicação de três indicadores para a Região, que habitualmente são integrados no capítulo IV – Outros Indicadores da Série Retrospetiva das Estatísticas da Educação, cuja edição está prevista para 30 de junho.

Para dois destes indicadores, foi necessário aplicar o método das médias móveis, ou seja, o valor de 2020, corresponde à média dos anos de 2020, 2019 e 2018. O recurso a esta técnica permite ultrapassar eventuais problemas de qualidade que resultam da baixa frequência do fenómeno ou de coeficientes de variação (rácio do desvio-padrão pela média) elevados, e que inviabilizam a divulgação de parte de informação pelo INE, no seu portal.

Para permitir a publicação de dois dos indicadores em causa (taxa de abandono precoce de educação e formação e a taxa de escolaridade do nível de ensino superior da população residente na RAM com idade entre 30 e 34 anos, por sexo), a DREM recorre ao referido método, sendo que para efeitos de comparabilidade com o país é necessário aplicar também médias móveis de 3 anos aos dados nacionais.

A taxa de abandono precoce corresponde à proporção da população dos 18 aos 24 anos que completou um nível de escolaridade correspondente, no máximo, ao 3.º ciclo do ensino básico e que não recebeu nenhum tipo de educação (formal ou não formal) na semana de referência do Inquérito ao Emprego ou nas três semanas anteriores.

A taxa de aprendizagem ao longo da vida é a proporção da população residente com idade entre 25 e 64 anos que participa em atividades de educação e formação, entendidas como todas as atividades de aprendizagem intencional ou não, desenvolvidas ao longo da vida, em contextos formais ou não-formais, com o objetivo de adquirir, desenvolver ou melhorar conhecimentos, aptidões e competências, no quadro de uma perspetiva pessoal, cívica, social e/ou profissional.

A taxa de escolaridade do nível de ensino superior corresponde à proporção da população dos 30 aos 34 anos que completou um nível de escolaridade correspondente ao ensino superior.

A par destes três indicadores, a DREM divulga hoje pela primeira vez também uma série (2011-2020) para o indicador dos jovens (15-34 anos) não empregados que não estão em educação nem em formação na Região.

Taxa de abandono escolar precoce continua a diminuir

Na Região Autónoma da Madeira (RAM), a taxa de abandono precoce de educação e formação de 2020 (expressa em média móvel de 3 anos) fixou-se em 11,2%, registando uma redução de 2,5 pontos percentuais (p.p) face ao ano precedente. Esta variável tem diminuído continuamente desde 2013 (primeiro ano da série), ano no qual atingia 28,0%, sendo que em sete anos decresceu 16,8 p.p.. Não obstante a taxa de abandono precoce regional ser superior à nacional, observa-se uma convergência dos valores: enquanto em 2013, essa discrepância era de 7,2 p.p., em 2020 não ultrapassava os 0,8 p.p.. De notar que, em 2020, tal como nos sete anos anteriores, a taxa em questão é maior para os homens (13,1%) do que para as mulheres (9,1%). No entanto, a aproximação entre as duas taxas ao longo do período em análise é evidente, com o diferencial a passar de 16,5 p.p. em 2013 para 4,0 p.p. em 2020.

Educacao PT novo 

Em 2020, a taxa de aprendizagem ao longo da vida fixou-se em 7,9%, menos 1,0 p.p. que em 2019, sendo mais expressiva nas mulheres (9,0%) do que nos homens (6,6%). Esta taxa tem vindo a oscilar no período 2011-2020, atingindo um máximo em 2018 (9,4%), reduzindo-se em 2019 para 8,9%, voltando a cair em 2020 para 7,9%, conforme atrás referido.  A nível nacional, esta taxa também desceu 0,5 p.p., mas a mesma mantinha-se acima do valor da RAM em 2,1 p.p., revelando-se um maior afastamento entre a RAM e o país do que no ano precedente (1,6 p.p.).

Por sua vez, a taxa de escolaridade do nível de ensino superior da população residente na RAM com idade entre 30 e 34 anos (média móvel de 3 anos) fixava-se em 33,4% em 2020 (39,8% nas mulheres e 27,2% nos homens). Apesar desta percentagem ser ainda inferior à média nacional (36,4%), constitui o valor mais alto desde 2013 (1.º ano da série).

17,2% dos jovens não estavam empregados nem a estudar ou em formação

A percentagem de jovens (15-34 anos) não empregados que não estão em educação nem em formação (NEEF) apresentou uma evolução distinta ao longo do período 2011-2020. Assim, entre 2011 e 2013, momento crítico da economia madeirense, a taxa passou dos 19,1% para os 25,0%, respetivamente, tendo em 2014 iniciado um ciclo descendente até 2019, ano no qual se registou um mínimo da série (13,1%). Em 2020, com a pandemia do COVID-19 a provocar uma disrupção económica, a percentagem de jovens não empregados que não estão em educação nem em formação cresceu 4,1 pontos percentuais para os 17,2%. De notar que a nível nacional este aumento foi menos substancial, passando a referida taxa dos 9,5% em 2019 para os 11,6% em 2020. A menor discrepância entre a taxa nacional e regional registou-se em 2019 (3,6 pontos percentuais) e a maior em 2015, no qual o valor regional foi superior ao do país em 8,4 p.p..

À percentagem de NEEF de 17,2% em 2020 equivalem 10,8 mil jovens, dos quais 57,4% estavam inativos e 43,5% desempregados.

Para mais informação aceda a:

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Cooperação Estatística Internacional

MAC14 20

Literacia Estatística

formation3

Literacia Estatística

formation3
Go to top